Heleno diz que Maduro usa generais para tráfico de drogas


“O que acontece é que não é fácil tirar do poder alguém que, eleito sem legitimidade, resolveu aliciar seus generais”, afirma o general Heleno.

Ao lado do presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, participou de transmissão ao vivo na rede social Facebook nesta quinta-feira (2).

Ao abordarem a complicada situação na Venezuela, Bolsonaro afirmou que existe “fissuras” nas patentes mais baixas das Forças Armadas do país.

Já o general Heleno disse que considera a situação ainda indefinida:

  “Apesar da movimentação enorme na Venezuela esta semana, nós consideramos a situação ainda indefinida. Teve gente que qualificou o que aconteceu como uma derrota do presidente [Juan] Guaidó. Nós não vemos dessa maneira.”

O  ministro do GSI acrescentou:

“O que acontece é que não é fácil tirar do poder alguém que, eleito sem legitimidade, resolveu aliciar seus generais – surpreendentemente – em torno de 2 mil e aliciar de forma totalmente inesperada, totalmente fora dos padrões, aqueles que deveriam ser os que mais defendessem o país visando o patriotismo, a dignidade da Venezuela.”

Ainda de acordo com o militar, o ditador Nicolás Maduro teria “aliciado e comprado” militares de alta patente com cargos e empregado generais no tráfico de drogas:

“O que acontece é que esses generais foram aliciados e comprados com cargos e lhes dão um salário muito maior e são influentes na economia. Além disso, empregou muitos dos seus generais no tráfico de drogas. Isso é terrível.”

Heleno completou:

“Então esse dirigente, o senhor Maduro, não é fácil de tirá-lo do poder, mas as pressões internacionais podem pouco a pouco mostrar ao pessoal, à população civil que ainda não compreendeu, a gravidade do problema e, principalmente, mostrar aos militares de alta patente, que eles precisam ter o patriotismo e voltar a trazer a Venezuela de novo para o caminho da liberdade e da democracia.”

Fonte Renova Mídia

Postar um comentário

0 Comentários