Com Apoio Do Povo, Militares Iniciam Intervenção Na Venezuela


As 12:13hrs -Presidente do Brasil apoia a liberdade da Venezuela
Jair Bolsonaro apoiou o movimento pela democracia na Venezuela: “O Brasil se solidariza com o sofrido povo venezuelano escravizado por um ditador apoiado pelo PT, PSOL e alinhados ideológicos. Apoiamos a liberdade desta nação irmã para que finalmente vivam uma verdadeira democracia.”

As 12:08hrs -Oposicionista unidos

María Corina se uniu a Juan Guaidó e Leopoldo López em Caracas

Henrique Capriles também manifestou seu apoio ao movimento contra a ditadura.
Imagens no final da matéria.

As 12:02hrs -Guaidó: “Vamos resistir”

Na Plaza Altamira, Juan Guaidó disse que "a maioria do povo está nas ruas pedindo mudança" e falou da importância de levar adiante o movimento que está em curso

As 11:55hrs -O deputado Alex Manente (Cidadania), secretário de Relações Internacionais da Câmara, acredita que “as forças internas que lutam para restabelecer a liberdade na Venezuela caminham para o triunfo”.

“O quadro na Venezuela indica uma virada iminente. A liberdade do povo venezuelano é desejo de todas as nações que defendem a democracia e o respeito aos direitos humanos. O mundo espera que este triunfo seja alcançado o mais brevemente possível. Fuerza, Venezuela.”

As 11:40hrs -“A resposta de Maduro não tem sido contundente”

O principal conflito na Venezuela é entre os militares que apoiam o presidente interino Juan Guaidó e os colectivos, milicianos armados que andam de moto e defendem o ditador Nicolás Maduro. “Por ora, o que vimos é que a resposta de Maduro não tem sido contundente. Não vimos militares, nem tanques, nem helicópteros ou aviões sobre Caracas, como aconteceu no passado em crises anteriores.”

As 11:31hrs -Juan Guaidó e Leopoldo López fazem um comício juntos em Caracas.

Enquanto isso, o povo venezuelano toma as ruas contra a ditadura de Nicolás Maduro.

As 10:52hrs -Iván Duque, presidente da Colômbia, e Sebastian Piñera, presidente do Chile, já apoiaram o movimento de Juan Guaidó para derrubar Nicolás Maduro e restaurar a democracia na Venezuela.

Só falta Jair Bolsonaro.

As 10:46hrs -Maduro começa o contra-ataque

-Duda Teixeira informa, na Crusoé, que forças leais a Nicolás Maduro foram até a base militar de La Carlota na manhã de hoje e lançaram bombas de gás lacrimogêneo. Também atiraram com armas de balas de borracha.

O presidente da Venezuela, Juan Guaidó, que foi reconhecido pelas maiores potências do mundo, convocou na manhã desta terça-feira (30) a população às ruas e declarou ter apoio de militares para pôr fim ao que ele chama de "usurpação" na Venezuela.

Guaidó afirmou em post em rede social que se encontra com as principais unidades militares das Forças Armadas e que deu início à fase final da chamada "Operação Liberdade".

"Povo da Venezuela, vamos à rua. Força Armada Nacional a continuar a implantação até que consolidemos o fim da usurpação que já é irreversível", declarou Guaidó em post.
Confira:

Pueblo de Venezuela, es necesario que salgamos juntos a la calle, a respaldar a las fuerzas democráticas y a recuperar nuestra libertad. Organizados y juntos movilícense a las principales unidades militares. Pueblo de Caracas, todos a la Carlota.

— Juan Guaidó (@jguaido) April 30, 2019

Atualizado; -Os homens da Guarda Nacional que apoiam Juan Guaidó capturaram soldados chavistas em Caracas. Não houve resistência.

Postar um comentário

0 Comentários