segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

PCC ameaça matar promotor caso chefes da facção sejam transferidos de São Paulo

Duas mulheres foram presas na tarde de sábado (8) após serem flagradas deixando a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, com cartas contendo ordens dos chefões do PCC.

As mensagens continham ordens para o assassinato de duas pessoas, entre elas um promotor de Justiça.

As cartas diziam que essas mortes deveriam ocorrer caso a transferência dos chefes da facção para presídios federais se concretize nos próximos dias —entre eles o chefão do grupo, Marco Camacho, o Marcola.

O alvo principal do ataque seria o promotor Lincoln Gakiya, responsável por esse pedido, e que investiga há anos o crime organizado. O outro alvo seria um dos coordenadores da SAP na região de Presidente Venceslau, onde estão reunidos esses criminosos.

Segundo informações de pessoas ligadas ao promotor, Gakiya recebeu reforço de escolta desde a noite de sábado.

O promotor pediu a transferência dos chefes da facção após um plano de resgate ser detectado pelo setor de inteligência da SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) de São Paulo, conforme noticiou a Renova.

Fonte Renova Mídia

Nenhum comentário:

Postar um comentário