terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Gleisi Hoffmann ameaça: 'Não haverá pacificação no Brasil enquanto Lula estiver preso'

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, não se sensibilizou com o pedido de união de Jair Bolsonaro, durante a cerimônia de sua diplomação como presidente da República e afirmou que o País não ficará pacificado enquanto Lula estiver preso.

No dia da diplomação de Bolsonaro, setores da esquerda organizaram um ato no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), em solidariedade ao ex-presidente Lula, que está preso desde abril, em Curitiba. Foi na sede do sindicato que Lula se refugiu logo após saber que sua prisão havia sido decretada no dia 05 de abril. Dois dias depois, o petista acabou se entregando à Polícia Federal, que o aguardava do outro lado da rua.

Durante o ato na sede do sindicato nesta segunda-feira, 10, Gleisi deu tom de como pretende enfrentar o governo Bolsonaro e fez novamente críticas ao ex-juiz Sérgio Moro, que condenou Lula na Lava Jato e será o ministro da Justiça e Segurança Pública a partir de janeiro. "A defesa de Lula é a defesa de uma ideia, é a defesa de um projeto de um povo. E não haverá pacificação do Brasil enquanto Luiz Inácio Lula da Silva estiver preso", discursou Gleisi.

O PT aproveitou o 70.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos para lembrar que Lula está preso há oito meses e reuniu lideranças do partido na sede Sindicato no ABC. O partido reafirma que Lula é um preso político.

Fonte. Imprensa Viva

Nenhum comentário:

Postar um comentário