CNJ age pelas costas e decide votar retorno do auxílio-moradia


Com o Poder Judiciário prestes a entrar em recesso, o Conselho Nacional de Justiça decide votar às pressas o retorno do auxílio-moradia.

O benefício havia sido suspenso pelo ministro Luiz Fux, em troca do aumento salarial de 16,38% para o Judiciário, mas o mesmo Fux deixou a decisão em aberto para que os conselhos dos magistrados retomassem o pagamento, ao não declarar a inconstitucionalidade do pagamento.

De acordo com o CNJ, será cobrada uma série de requisitos para que os amgistrados possam receber o auxílio-moradia, mas de qualquer maneira soa como um ataque frontal ao interesse popular.

A decisão será tomada na terça-feira, e será a última reunião do CNJ no ano. Caso seja aprovada, a medida ainda precisará da replica do Conselho Nacional do Ministério Público, com reunião prevista para terça-feira também.

Fonte República de Curitiba

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.