sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Dilma defende doutrinação do PT nas escolas: “Escola sem Partido é escola sem alma"



A ex-presidente Dilma Rousseff já defendeu publicamente a doutrinação partidária de crianças em sala de aula praticada por professores simpatizantes do PT, quando criticou o Programa Escola Sem Partido. A petista criticou a proposta, durante ato organizado por petistas no campus de São Bernardo do Campo da Universidade Federal do ABC, em São Paulo.

Durante o ato, Dilma criticou o avanço das propostas do movimento Escola Sem Partido, que segundo ela, anulam a "liberdade pedagógica" no ensino ao proibir o debate político nas escolas.

“Escola sem Partido é escola sem alma, sem debate, sem posição. Nós vivemos em um momento que não cabe mais achar que uma perspectiva de gênero é algo que deve ser punido ou rechaçado. Não é possível um governo de homens brancos apenas. Tem que ter jovens, mulheres e negros. Tem que ter representação, pois saímos outro dia da escravidão”, afirmou a petista, misturando maliciosamente o assunto com outras questões em debate na sociedade, de modo a tentar legitimar as segundas intenções do PT por trás desta iniciativa.

O projeto, que busca o fim da "doutrinação" em sala de aula é de autoria do senador Magno Malta, e prevê a “neutralidade” dos professores diante de questões políticas, ideológicas e religiosas em sala de aula. Existe ainda um Projeto de Lei 867/2015, de autoria do deputado Izalci Lucas (PSDB-DF) , que defende a “neutralidade política e ideológica” nas salas de aula.

O combate às propostas que visam assegurar às famílias o direito de instruir seus filhos sobre orientações de cunho religioso e político é combatido pelo PT e peos demais partidos de esquerda, que querem aplicar as mesmas teses das cartilha do comunismo e do nazismo para doutrinar crianças e jovens.


PT possui grande influência sobre professores da rede pública no Brasil e instrui os docentes a manipular as crianças através da “doutrinação ou assédio ideológico", visando assegurar um contingente mínimo de eleitores entre as crianças e jovens influenciados.

O partido acionou todos os integrantes do chamado "aparelhamento partidário", instruindo funcionários públicos, servidores e ocupantes de cargos em nível federal, estadual e municipal a propagar a mensagem de que o PT, Lula e Dilma estão sendo vítimas de uma grande conspiração da direita e das instituições do país.

Professores em várias escolas trabalham com todo afinco no sentido de incutir a narrativa do golpe na cabeça de crianças e jovens em todo o país. Grupos coletivos irradiam a mensagem de que Dilma e Lula são vítimas em escolas da periferia, em universidades públicas e privadas, em comunidades carentes e em todos os redutos controlados pelos movimentos sociais, sindicais e culturais controlados pelo PT.

Fonte Imprensa Viva

Nenhum comentário:

Postar um comentário